FANDOM


INTERLINGUA PORTUGESE ROMANICA


O guardador de rebanhos (Original em português)


ALBERTO CAEIRO


SOU UM GUARDADOR DE REBANHOS.
O REBANHO É OS MEUS PENSAMENTOS
E OS MEUS PENSAMENTOS SÃO TODOS SENSAÇÕES.
PENSO COM OS OLHOS E COM OS OUVIDOS
E COM AS MÃOS E OS PÉS
E COM O NARIZ E A BOCA.

PENSAR UMA FLOR É VÊ-LA E CHEIRÁ-LA
E COMER UM FRUTO É SABER-LHE O SENTIDO.

POR ISSO QUANDO NUM DIA DE CALOR
ME SINTO TRISTE DE GOZÁ-LO TANTO
E ME DEITO AO COMPRIDO NA ERVA,
E FECHO OS OLHOS QUENTES,
SINTO TODO O MEU CORPO DEITADO NA REALIDADE,
SEI A VERDADE E SOU FELIZ.



Nesse poema simples e claro, Alberto Caeiro nos expõe sua postura em relação à realidade que o circunda: seu conhecimento da Natureza e do Mundo é obtido por meio dos sentidos; seu pensamento é justamente o conteúdo de suas sensações. Assim, viver é simplesmente sentir: a felicidade consiste em “deitar-se ao comprido na relva”, a fim de sentir o próprio “corpo deitado na realidade”.
Fernando Pessoa diz ter colocado em Alberto Caeiro “todo o seu poder de despersonalização dramática”. Se você considerar que a atividade mental de Pessoa foi sempre lúcida e racional, poderá perceber o alcance dessa afirmação. Afinal, deve ter sido extremamente difícil para um homem do nosso tempo, comprimido por séculos de racionalismo, criar e sustentar um poeta cuja visão de mundo não era visão de mundo, e sim sensação de mundo.
A obra poética de Alberto Caeiro é formada por três conjuntos de poemas, agrupados sob as denominações de “O guardador de rebanhos”, “O pastor amoroso” e “Poemas inconjuntos”. É nos poemas do primeiro conjunto, “O guardador de rebanhos”, que se sente mais claramente a “sensação do mundo” de Caeiro.



Alberto Caeiro da Silva, um dos três mais famosos heterônimos de Fernando Pessoa – os outros dois são Álvaro de Campos e Ricardo Reis –, nasceu em Lisboa, a 16 de abril de 1889, e morreu em 1915, na mesma cidade, tuberculoso. Órfão de pai e mãe, viveu com uma tia, no campo. Só teve instrução primária e, por isso mesmo, escrevia mal o português.
Esses traços biográficos ajustam-se perfeitamente à poesia de Caeiro e, principalmente, à sua visão de mundo. Poeta bucólico, vive em contato direto com a Natureza; daí sua lógica ser a mesma da ordem natural. Apresenta um “conceito direto das coisas”, um “objetivismo absoluto”, pois o mundo é aquilo que Caeiro sente: “Os meus pensamentos são todos sensações”.
Outra característica fundamental de Caeiro é o seu paganismo. E quando Fernando Pessoa afirma que Caeiro é o seu mestre, é apenas parte de uma verdade: Caeiro era mestre de Pessoa e de todos os outros heterônimos.

[Extraído de Como ler Fernando Pessoa, de José de Nicola Ulisses Infante – Editora Scipione, 1988].

Ad blocker interference detected!


Wikia is a free-to-use site that makes money from advertising. We have a modified experience for viewers using ad blockers

Wikia is not accessible if you’ve made further modifications. Remove the custom ad blocker rule(s) and the page will load as expected.

Altere sitos de Wikia

Wiki aleatori